Em Cannes, Cate Blanchett diz: “Este não é o Prêmio Nobel da Paz, é a Palma de Ouro”

O Festival de Cannes começou hoje e uma série de perguntas foram feitas na coletiva de imprensa do júri oficial da 71º edição do evento. Na conferência envolvendo os integrantes, as falas mais interessantes vieram da presidente do júri, Cate Blanchett.

Provavelmente nesse ano dois cineastas proeminentes não estejam presentes nas estreias de seus filmes na competição por motivos políticos. Jafar Panahi, diretor de “Three Faces”, está sob proibição de vinte anos de viagens desde 2010. Kirill Serebrennikov, diretor de “Summer”, foi colocado em prisão domiciliar até 13 de outubro devido acusações de fraude. Blanchett foi perguntada se o júri levaria em consideração o status desses diretores ao determinar os prêmios que eles distribuiriam no final do festival. Ela deu uma resposta eloquente, mas também contundente.

“Eu acho que não é um festival de cinema político e acho que fazer o trabalho é muitas vezes inerentemente político e como ele vai ser digerido e divulgado depois do festival pode ter implicações políticas para as pessoas e abrir suas mentes e corações para situações acontecendo ao redor do mundo “, disse Blanchett. “Este não é o prêmio Nobel da paz, é a Palma de Ouro. É uma função ligeiramente diferente. É uma situação terrível que dois cineastas provavelmente não estarão aqui quando seus filmes forem exibidos”.

A resposta da presidente também pode está ligada a movimentos feministas, como o #MeToo e o Time’s Up. Nessa edição, apenas 3 dos 21 diretores que estão na competição são do sexo feminino. São elas: Eva Husson, Nadine Labaki e Alice Rohrwache.

“Se eu queria ver mais mulheres? Sim. Se espero ver mais mulheres? Sim. Elas não estão aqui pelo seu gênero, mas pela qualidade de seu trabalho. Nós as avaliaremos como cineastas, como têm de ser”, disse Blanchett.

Contando com a atriz australiana, cinco mulheres e quatro homens formam o júri deste ano. Estão presentes as atrizes Léa Seydoux e Kristen Stewart, a diretora Ava DuVernay e a cantora Khadja Nin. Completam o time dos jurados os diretores Denis Villeneveuve, Robert Guédiguiam e Andrey Zvyandintsev, além do ator Chang Chen.

A competição do festival começou na noite desta terça, dia oito. O primeiro filme a ser exibido é o longa espanhol, “Todos Lo Saben“, dirigido pelo iraniano Asghar Farhadi.

Marcus Barreto

Jornalista de bem com a vida, fã de esportes e cinema.