The National e seu visceral “Sleep Well Beast”


Desde seu primeiro álbum a banda estadunidense The National apresenta um forte envolvimento emocional com suas canções. Sem duvidas algo quase tangível – onde o ouvinte tem a possibilidade de sentir com facilidade o que Matt Berninger (vocalista) quer transmitir. Em “Sleep Well Beast” não é diferente, perpetuando a trama da dor e solidão que pela primeira vez parece oferecer uma faísca de esperança aos corações partidos. Depois de quebrar um hiato de quase quatro anos, recebemos do The National uma obra sobre viver a vida em toda sua amplitude.

Diferentemente de “Trouble Will Find Me” (sexto álbum da banda), o registro em questão destaca os encorpados arranjos de percussão e sintetizadores. O que soa estranho em um primeiro momento acaba se encaixando acertadamente a desolada e marcante voz de Berninger. Uma agradável surpresa aos fãs acostumados com o ressonante The National de guitarras e violões. Prova da reinvenção e do flerte da banda com o novo ainda não explorado – sem nunca deixar o piano de fora, é claro.

As composições cheias de dor e desculpas deliberam a eterna perseguição do grupo pelo relacionamento perfeito, compreendendo todas as escolhas erradas (ou necessárias) tomadas no caminho. Um complexo paralelo sobre responsabilidade e imprudência contínua em nossas vidas. A poesia do The National é a de sempre, mas a fórmula nunca seca. O grupo exterioriza um cenário onde a maior qualidade está em avaliar os erros como parte da nossa natureza, mantendo o caráter imperfeito do ser humano.

Canções como “Day I Die“, “Turtleneck” e “Carin at The Liquor Store” trazem o The National de 2011 de volta, dando aos fãs um sopro de nostalgia, e eu diria até crucial ao andamento do disco. É como se em toda sua trilha nos víssemos entre um velho e um novo grupo, não destoando em nenhum momento  da proposta inicial apresentada aqui. Um belo composto de sons que cabe (distintamente) ao momento de reintegração dos integrantes com a banda, visto que neste período livre, cada um seguia na idealização de seus projetos solos.

Desde o fiasco de um relacionamento em todas as suas ações tomadas à interessante mudança sonora da banda, “Sleep Well Beast” é um bonito exemplo de como um disco pode ser em toda sua forma, um resultado de um pouco de tudo, sem avarias e com muita qualidade em sua execução. A intenção visceral do The National de desfragmentar o ser humano continua.

Flávia Denise

Jornalista & Music nerd. ;)