“Ambulância – Um Dia de Crime”, de Michael Bay é caótico e explosivo como qualquer outro filme do cineasta

“Ambulância – Um Dia de Crime”, de Michael Bay é caótico e explosivo como qualquer outro filme do cineasta

Originalmente “Ambulância – Um Dia de Crime” é um remake baseado no filme dinamarquês de 2005 com o mesmo nome (“Ambulance”) dirigido por Laurits Munch-Petersen. Esta nova releitura conta com Michael Bay, que acabou assumindo o posto de Phillip Noyce na direção. Tendo Bay como diretor, já podemos esperar os velhos clichês que o cineasta possui: tiros, carros capotando e explosões. Entretanto, de alguma maneira ele tenta agregar alguma reflexão sobre perdão através da troca de favores.

O veterano condecorado Will Sharp (Yahya Abdul-Mateen II), desesperado por dinheiro para cobrir as despesas médicas de sua esposa, pede ajuda a seu irmão adotivo Danny (Jake Gyllenheaal). Um carismático criminoso, Danny oferece a ele um serviço: O maior assalto a banco da história de Los Angeles. Porém, o plano não sai como de acordo e os dois assaltantes de banco roubam uma ambulância ocupada por uma paramédica (Eiza González) e um paciente em estado crítico para conseguir fugir da polícia.

Esperar que Michael Bay mude ou até acrescente algo em seu estilo de direção em qualquer projeto que ele esteja envolvido chega ser irracional da parte de qualquer um, sem nenhuma surpresa, isso não acontece em “Um Dia de Crime”. A Produção começa com planos da cidade de Los Angeles para mostrar bem o cenário da ação que nos aguarda mais adiante. Logo depois o filme nos Will Sharp tentando resolver a questão da cirurgia de sua esposa no qual o plano de saúde não cobre. Sem nenhuma enrolação, Will vai de encontro a seu irmão Danny para pedir dinheiro emprestado, porém, Danny oferece um serviço, um assalto ao banco. Will fica com receio, mas acaba aceitando e desde então toda a ação do filme começa.

As primeiras cenas de ação são as melhores que o longa-metragem de Bay pode nos propor. Levemente existe um tom cômico quando Will, Danny e mais um grupo de capangas estão efetuando o roubo, mas é nas cenas de trocação de tiros que os primeiros minutos de produção chega ao seu ápice. Com uma mixagem de som excelente na emissão de sons dos disparos das armas, Bay sabe bem o que fazer para deixar o público mais popular inquieto numa cadeira. Infelizmente são poucos os que percebem a quantidades de cortes que a cena possui e sem falar que a câmera sofre de mal de parkinson que torna quase impossível entender o que está acontecendo.

No geral, Michael Bay está sendo o que costuma ser. Um cineasta com uma direção caótica, muita coisa acontece sem parar aqui e isso reflete na enxurrada de carros capotando a todo momento. Alguns vícios de Bay, como o slow motion aparecem com menos frequência, entretanto, deram espaços para os drones. Em  “Ambulância – Um Dia de Crime” temos inúmeros planos capturados por drones de maneira exagerada, na maioria das vezes acaba sendo irritante e gratuito.

Já o roteiro escrito por Chris Fedak é bastante previsível e isso atinge diretamente no tempo de execução da produção. “Ambulância – Um Dia de Crime” seria bem mais divertido se durasse 1h30min. Os diálogos chegam a ser bobos e com piadas que transformam o humor do MCU em artigo de luxo. Em opinião particular, Jake Gyllenhaal vem escolhendo mal seus trabalhos, apesar disso é fato que o ator possui talento de sobra sendo capaz de assumir qualquer tipo de papel que lhe seja oferecido. Aqui vemos ele sendo explosivo, engraçado e inteligente. Yahya incorpora bem os sentimentos descritos para o seu personagem, que é ter compaixão ao próximo. Eliza Gonzales, como Cam Thompson, a salva-vidas, serve como a personagem central da história e por algum momento acaba se tornando a alma do filme. Já o restante do elenco acaba sendo descartável.

Por mais que não seja um bom filme, “Ambulância – Um Dia de Crime” consegue entreter durante os seus 136min mesmo não sendo um longa de ação que vai ficar gerar comentários durante horas, mas acaba se tornando uma experiência bem caótica, em algum momento Michal Bay vai conseguir arrancar um suspiro seu. Se você não for muito exigente, você será recompensado.

ARTIGOS RELACIONADOS