Edição de 2020 do Coala Festival será virtual e promete ser tão F&%$ quanto a versão física

Edição de 2020 do Coala Festival será virtual e promete ser tão F&%$ quanto a versão física

Fazer uma edição virtual tão F&%$ quanto as edições físicas do evento. Esta é a meta para o Coala Festival em 2020. Por isso, a organização não pula a contagem de anos, nem anuncia uma versão extraoficial. Pela primeira vez, após seis anos, o Coala sai do Memorial da América Latina para se refugiar e manter o isolamento no meio da natureza. No dia 12 de setembro, a partir deste local sigiloso, o Coala, que é um dos principais e mais relevantes festivais do Brasil, transmite cinco shows, quatro DJs sets e conteúdos ligados à música brasileira por meio do seu canal de YouTube.

Fernanda Pereira, diretora do Coala Festival falou sobre a mudança, “Quando decidimos fazer uma edição virtual, quisemos refugiar o Coala numa locação afastada, mas que pudesse passar uma sensação de acolhimento e segurança. É uma maneira de levar a música brasileira para todos, sem a necessidade de estar junto fisicamente”.

Segurança, inclusive, é outro fator que está guiando a produção do festival. Para isso, uma consultoria foi contratada e está responsável por acompanhar todo o processo e por apontar todos os protocolos vigentes para evitar a disseminação da Covid-19. As orientações vão de sanitização e distanciamento a cuidados especiais com o turno das equipes.

Conhecido por criar encontros inéditos no palco, o Coala mantém a curadoria com olhar afiado nesta edição e, em breve, anunciará o line-up completo. Ao longo das 8 horas de transmissão, um apresentador conduzirá as entrevistas com os artistas escalados para o Coala 2020 e também introduzirá os blocos de conteúdos que estão sendo preparados.


ARTIGOS RELACIONADOS