Ennio Morricone e seus 90 anos de trilhas sonoras

Você já se imaginou com 90 anos de idade? Imagina o quanto de coisas você teria feito ou teria deixado de fazer com essa idade! E se no momento em que você tivesse nascido alguém te falasse que você teria 90 anos para fazer algo histórico? O quê você faria? Bem, eu não tenho essas respostas para os questionamentos que levantei, mas o compositor italiano, Ennio Morricone, que completa 90 anos neste sábado, dia 10, tem mais de 500 composições que podem responder muito bem todas estas indagações.

De alguma maneira Ennio Morricone já passou pela vida. Sim, a sua! você não sabia? Se você assistiu e gostou de “Os Oito Odiados“, “Era Uma Vez Na América“, “Cinema Paradiso” e a trilogia dos dólares dirigida por Sergio Leone, fique sabendo que a trilha sonora que guia esses filmes são compostas por Morricone.

Filho de trompetista, Morricone nasceu na capital italiana, Roma. Desde cedo demonstrou talento e desejo para seguir a carreira do pai. Com seis anos, o músico já tocava trompete e compôs suas primeiras partituras. Por volta de 1943 a 1954, Ennio estudou no Conservatório Santa Cecilia, na capital italiana, sobe a supervisão do maestro Goffredo Petrassi. Além de tocar em clubes de jazz da cidade acompanhado de seu pai, Morricone passou a trabalhar como arranjador para o canal de TV RAI no final dos anos 50. Ao longo das décadas de 50 e 60, ele fez o arranjo de centenas de músicas. Nelas já era fácil de identificar seu gosto, marcante em seu trabalho no cinema, pela música concreta, pela incorporação de ruídos e sons do dia a dia como parte integrante da sua composição.

O convite para trabalhar com cinema surgiu por meio de Luciano Salce, em 1961. O cineasta o convidou para fazer a trilha de seu filme, “Il Federale“. Mesmo que não fosse uma pessoa que frequentasse o badalado mundo dos cineastas e produtores italianos, os convites foram se tornando cada vez mais frequentes.

Como já dito, foram mais de 500 partituras envolvendo cinema e televisão, além de mais de 100 obras clássicas. Sua filmografia inclui mais de 70 filmes premiados, entre eles estão todos os filmes de Sergio Leone, todos os de Giuseppe Tornatore, alguns de Dario ArgentoJohn Carpenter, Bernardo Bertolucci, Mauro Bolognini, Giuliano Montaldo, Roland Joffé, Roman PolanskiHenri Verneuil e entre outros.

Em 1969, Morricone se tornou um dos fundadores do Forum Music Village, um prestigiado estúdio de gravação. A partir dos anos 70, o maestro conquistou Hollywood, compondo para diretores americanos como Don Siegel, Mike Nichols, Brian De Palma, Barry Levinson, Oliver Stone, Warren Beatty, John Carpenter e Quentin Tarantino.

Com uma quantidade enorme de projetos, fica impossível citar cada um deles aqui. Porém, destacamos aqueles que são considerados indispensáveis. Separamos em blocos, cada ponto crucial da carreira do maestro Ennio Morricone. Neles você poderá conferir um pouco da obra atemporal do compositor.


Vida Pessoal

Em 1950 Morricone conheceu Maria Travia. O casamento do casal aconteceu em 13 de 1956. Travia foi letrista e escreveu letras para complementar alguns trabalhos de Ennio. O casamento rendeu quatro filhos, que são: Andrea Morricone, Alessandra Morricone, Giovanni Morricone e Marco Morricone.

Morricone vive até hoje na Itália e nunca teve o desejo de morar em Hollywood. O maestro também não é fluente em inglês e sempre prefere dar entrevistas em sua língua nativa. Conseguimos presenciar isso quando ele recebeu o Oscar em 2016, no qual seu discurso foi todo em italiano.


Filmes

Listamos 20 filmes em que Ennio Morricone ficou encarregado de produzir originalmente a trilha sonora de cada um deles. Na lista você se depara com os principais trabalhos a um dos mais recentes, que foi “Os Oitos Odiados”.

Por um Punhado de Dólares/A Fistful of Dollars, Sergio Leone, 1964
Por Uns Dólares A Mais/For a Few Dollars More, Sergio Leone, 1965
Três Homens Em Conflito/The Good, the Bad and the Ugly, Sergio Leone, 1966
O Exorcista II – O Herege/Exorcist II – The Heretic, John Boorman, 1977
A Gaiola Das Loucas/La Cage aux Folles, Édouard Molinaro, 1978
O Enigma de Outro Mundo/The Thing, John Carpenter, 1982
Era Uma Vez Na América/Once Upon a Time in America, Sergio Leone, 1984
A Missão/The Mission, Roland Joffé, 1986
Os Intocáveis/The Untouchables, Brian De Palma, 1987
Busca Frenética/Frantic, Roman Polanski, 1988
Cinema Paradiso, Giuseppe Tornatore, 1989
Hamlet, Franco Zeffirelli, 1990
Bugsy, Barry Levinson, 1991
Na Linha De Fogo/In the Line of Fire, Wolfgang Petersen, 1993
Lobo/Wolf, Mike Nichols, 1994
Assédio Sexual/Disclosure, Barry Levinson, 1994
Bulworth, Warren Beatty, 1998
Missão: Marte/Mission to Mars, Brian De Palma, 2000
O Melhor Lance/The Best Offer, Giuseppe Tornatore, 2013
Os Oitos Odiados/The Hateful Eight, Quentin Tarantino, 2015


Algumas Faixas

Com mais de centenas de faixas produzidas, é impossível não cair no clichê e acabar citando o quê Morricone tem de mais famoso em seu trabalho. Porém, é um pecado deixar de mencionar uma faixa épica como “The Ecstacy of Gold” em qualquer lista sobre trilhas cinematográficas.

The Good, The Bad and the Ugly

A Fistful of Dollars

The Ecstacy of Gold

Cinema Paradiso

The Braying Mule (Django Livre)


Prêmios

Com inúmeras produções, é difícil explicar e compreender como Ennio só ganhou um Oscar em toda sua carreira. Obvio, não podemos esquecer do Oscar honorário que o compositor recebeu em 2007, mas mesmo assim continua sendo muito pouco para quem já contribuiu tanto para Hollywood. Nesse tópico você pode conferir todos os prêmios que Ennio Morricone conquistou em toda sua trajetória.

Academy Awards

Oscar Honorário, 2007
Os Oito Odiados – Melhor Trilha Sonora Original, 2016

American Film Institute (AFI)

A Missão – Top 25 de Melhores Filmes Americanos de Todos os Tempos, do AFI, 1986

Globo de Ouro

A Missão – Melhor Trilha Sonora, 1987
A Lenda do Pianista do Mar – Melhor Trilha Sonora Original, 2000
Os Oito Odiados – Melhor Trila Sonora Original, 2016

Globo de Ouro Italiano

Il Lungo Silenzio – Melhor Trilha Sonora Original, 1993

Grammy Awards

Os Intocáveis – Melhor Trilha Sonora Original, 1988
Era uma Vez no Oeste – Melhor Performance Instrumental, 2007
Três Homens em Conflito – Hall da Fama do Grammy, 2009
Carreira – Grammy Trustees Award, 2014

Nastro d’Argento

Por um Punhado de Dólares – Melhor Trilha Sonora Original, 1964
Numa Noite… Um Jantar – Melhor Trilha Sonora Original, 1970
Sacco e Vanzetti – Melhor Trilha Sonora Original, 1972
Era uma Vez na América – Melhor Trilha Sonora Original, 1985
Os Intocáveis – Melhor Trilha Sonora Original, 1988
A Lenda do Pianista do Mar – Melhor Trilha Sonora Original, 1999
Canone Inverso – Melhor Trilha Sonora Original, 2000
A Desconhecida – Melhor Trilha Sonora Original, 2017
I Demoni di San Pietroburgo – Melhor Trilha Sonora Original, 2008
Baarìa – A Porta do Vento – Melhor Trilha Sonora Original, 2010
O Melhor Lance – Melhor Trilha Sonora Original, 2013

ASCAP Awards

Os Intocáveis – Melhor Trilha Sonora Original, 1988
Na Linha de Fogo – Melhor Trilha Sonora Original, 1994
Carreira – Life Achievement Award, 1994
Lobo – Melhor Trilha Sonora Original, 1995

BAFTA Awards

Cinzas no Paraíso – Prêmio Anthony Asquith de Música para Cinema, 1980
Era uma Vez na América – Melhor Trilha Sonora Original, 1985
A Missão – Melhor Trilha Sonora Original, 1987
Os Intocáveis – Melhor Trilha Sonora Original, 1988
Cinema Paradiso – Melhor Trilha Sonora Original, 1991
Os Oito Odiados – Melhor Trilha Sonora Original, 2016

David Award

Gli Occhiali d’Oro – Melhor Trilha Original, 1988
Cinema Paradiso – Melhor Trilha Original, 1989
Estamos Todos Bem – Melhor Trilha Original, 1990
Jona Che Visse Nella Balena – Melhor Trilha Original, 1993
A Lenda do Pianista do Mar – Melhor Trilha Original, 1999
Canone Inverso – Melhor Trilha Original, 2000
Carreira – 50th Anniversary David, 2006
A Desconhecida – Melhor Trilha Original, 2017
Baarìa – A Porta do Vento – Melhor Trilha Original, 2010
O Melhor Lance – Melhor Trilha Original, 2013

Prêmios do Cinema Europeu

Carreira – Lifetime Achievement Award,
O Melhor Lance – Melhor Compositor, 2013

Prémios Los Angeles Film Critics Association (LAFCA)

Era uma Vez na América – Melhor Trilha Sonora Original, 1984
Carreira – Career Achievement Award, 2001


Sem sombra de dúvidas Morricone tem seu nome cravado na história do cinema mundial. Ao lado de John Williams, ele pode ser considerado o compositor mais relevante para a sétima arte. Com 90 anos, há cada ano que passa Ennio vem compondo menos trilhas sonoras. Mas o motivo não é a idade, para termos noção, o compositor entrou no ano de 2018 conduzindo a turnê 60 Years of Music Tour por nove cidades europeias. Cansaço é algo que não existe para ele.

Composições curtas, com estrutura de música pop e instrumentos como violão e guitarra são características presentes nas composições do maestro, e com todo esse estilo musical, Ennio Morricone conseguiu atingir diferentes gerações de espectadores. Com tudo que já fez e ainda pode fazer, o maestro não é apenas um cidadão italiano, mas sim mundial, o que nos resta é reverenciar esse gênio de 90 anos e agradecer por cada composição.

Marcus Barreto

Jornalista de bem com a vida, fã de esportes e cinema.

Online Shopping in BangladeshCheap Hotels in Bangladesh