Greta Gerwig renova brilhantemente o clássico “Adoráveis Mulheres”

Se tratando de títulos considerados clássicos, sou tradicionalista em dizer que obras que carregam essas responsabilidades são intocáveis. Suas versões originais devem caminhar durante épocas para que todas as gerações entendam o porquê  de determinada obra carregar essa honraria de clássico. No entanto, “Adoráveis Mulheres” é considerado importante na literatura americana, e lógico que os cineastas não iriam perder tempo de adaptar o romance escrito por Louisa May Alcott. Depois de assistir a versão idealizada por Greta Gerwig, devo dizer que qualquer clássico pode ganhar um releitura, desde de que bem dirigido.

A versão mais recente de “Adoráveis Mulheres” não descaracteriza o que a obra literária propõe. Com personagens marcantes somado com um elenco de peso, temos a doméstica Meg (Emma Watson); a independente escritora Jo (Saoirse Ronan); a apaixonada por música Beth (Eliza Scanlen) e a ambiciosa Amy (Florence Pugh). As quatro irmãs e protagonistas, transmitem as dificuldades e as lutas que todas mulheres compartilham durante o dia a dia. Todas possuem seus sonhos, tem medo de viver, porém, não deixam de batalhar. Elas são criadas por sua mãe Marmee (Laura Dern) e o pai capelão que se encontra na guerra (Bob Odenkirk).

Entre as quatro irmãs, Jo é a que transborda o sentimento de liberdade que toda mulher deseja ter. Ela quer ser autônoma, enquanto suas irmãs passam por diferentes caminhos. Meg sonha se casar e ter uma família, Beth pode ser considerada a mais inofensível e ingênua de todas, e Amy.. bem, Amy é uma incógnita. Os homens também estão presentes. O professor John Brooke (James Norton), o vizinho rico, Sr. Laurence (Chris Cooper), e seu neto Thetodore Laurence (Timothée Chalamet), que tem interesse por Jo.

Devo dizer que cada característica das personagens, são entregues divinamente bem. Pugh consegue fazer um Amy que cria intrigas hilárias. Watson, mesmo sendo jovem consegue transmitir o semblante de uma irmã mais velha. Já Scanlen, tem uma personagem sem tantas exigências, no qual as vezes passa desapercebida em alguns momentos, mas se tratando da timidez de Beth, isso pode ser considerado algo bom na atuação da jovem atriz. Gerwig nos fez o favor de juntar as duas estrelas do seu primeiro longa, “Lady Bird“. Chalamet consegue fazer que seu personagem seja atraente, atrapalhado e por determinadas vezes, tolo. Já Ronan, bem ela é a melhor coisa que tem na projeção. “O longa é dela”, e ela transparece todas as emoções que sua personagem possui, sendo assim uma verdadeira inspiração.

O única ponto que pode ser dito da trama, é de que Jo é a representação ideal para toda mulher que almeja a independência. Em determinado ponto do longa-metragem, a escritora discute sobre possuir o direito autoral sobre seu próprio livro. Isso requer estabilidade financeira. Ao conseguir, ela poderá “provar” para sua Tia March (Meryl Streep), vitima de uma sociedade machista, que mulher tem outros meios de conseguir uma dependência econômica além do casamento ou administrar um bordel. Acho que isso mostra o quão forte o discurso em favor das mulheres se encontra  presente no roteiro do filme escrito pela própria cineasta.

Greta Gerwig decide não seguir uma estrutura linear em sua direção. A todo tempo vemos a história se alternando entre presente e passado, onde nos mostra determinados acontecimento na vida das irmãs. O passado é agradante, alegre, colorido e divertido, diferente do presente, simbolizado por cores mais pesadas, onde a tristeza prevalece em alguns momentos. Isso tudo fica claro graças ao diretor de fotografia Yorick Le Saux. Sem falar que o figurino costurado por Jacqueline Durran é outra coisa que favorece a película.

É de ficar de queixo caído com a ascensão de Gerwig como diretora. Em 2017 ela estreia com um projeto jovial e contemporâneo, e agora nos vem com um remake de época, com uma linguagem altamente presente aos dias atuais. Isso mostra que o leque de direção dela é imenso e que tem muito a nos oferecer. Vale lembrar que “Adoráveis Mulheres” é apenas o segundo trabalho da cineasta americana nascida na Califórnia. Com uma carreira de atriz bem estabilizada, Greta trabalhou com nomes como o de Baumbach, Mills, Larraín e Anderson. Fica evidente determinadas influências em sua direção. Quando nos minutos iniciais do filme, Jo começa a correr pela rua, fica clara a homenagem ao queridinho “Frances Ha”.

Essa versão mais recente de “Adoráveis Mulheres“, por Greta Gerwig transmite perfeitamente os laços entre irmãs. Além disso expressa através de Jo que toda mulher pode correr atrás dos seus sonhos, seja qual ele for. O filme é moderno, ambicioso e capaz de fazer qualquer um chorar. Todo remake deveria ser como esse. Corajoso, bem dirigido e trazer uma mensagem positiva para uma nova geração. Nesse caso, a mensagem aqui está embutida na obra e na artista, que também pode servir de inspirações para cineastas mulheres. Ainda bem que a carreira de Gerwig como diretora de cinema está apenas começando.


“Adoráveis Mulheres” de Greta Gerwig tem primeiro cartaz divulgado

A Sony Pictures divulgou hoje, 29, o primeiro cartaz de “Adoráveis Mulheres” , segundo longa dirigido por Greta Gerwig. A produção conta com nomes como o de Emma Watson, Saoirse Ronan, Florence Pugh. Ainda no elenco estão Meryl Streep e Timothée Chalamet. O filme é baseado no livro clássico de Louisa May Alcott e chega aos cinemas do Brasil em 9 de janeiro de 2020.

Aqui está a sinopse oficial: A diretora e roteirista Greta Gerwig (Lady Bird – A Hora de Voar) costurou seu filme Adoráveis Mulheres usando como base o romance clássico e também os escritos de Louisa May Alcott; e criou uma história que se desenrola enquanto o alter ego da autora, Jo March, relembra fatos do passado e do presente de sua vida fictícia. Na visão de Gerwig, a amada história das irmãs March – quatro jovens mulheres, cada uma determinada a viver a vida em seus próprios termos – é uma história clássica e ao mesmo tempo muito atual. Retratando Jo, Meg, Amy e Beth March, o filme é estrelado por Saoirse Ronan, Emma Watson, Florence Pugh, Eliza Scanlen, com Timothée Chalamet como seu vizinho Laurie, Laura Dern como Marmee e Meryl Streep como Tia March.

Vale lembrar que “Adoráveis Mulheres” estreia em 9 de janeiro do próximo ano e está cotado para aparecer nas principais premiações do cinema. Abaixo o cartaz em alta resolução. 


“Um Dia de Chuva em Nova York”, tem estreia nacional antecipada

Dirigido por Woody Allen, “Um Dia de Chuva em Nova York” tem data de estreia antecipada para o dia 21 de novembro. A comédia romântica acompanha a história de um jovem casal, Gatsby (Timothée Chalamet) e Ashleigh (Elle Fanning), que decidem passar um fim de semana romântico em Nova York, mas seus planos logo vão por água abaixo.

Aqui está a sinopse oficial: Apaixonado por Nova York, Gatsby decide passar um fim de semana na cidade ao lado de Ashleigh, sua namorada. No entanto, aquilo que era pra ser uma aventura romântica acaba tomando um rumo inesperado. Aspirante a jornalista, Ashleigh conhece o diretor de cinema Roland Pollard (Liev Schreiber), que a convida para a exibição de seu mais recente trabalho. Gatsby, por sua vez, encontra Chan (Selena Gomez), a irmã mais nova de sua ex-namorada, com quem passa o restante da viagem. Um dia de chuva em Nova York será o suficiente para fazer com que Ashleigh redescubra suas verdadeiras paixões e Gatsby aprenda que só se vive uma vez – mas que é o suficiente se for ao lado da pessoa certa.

Além de dirigir, Allen também o assina o roteiro da produção e repete a parceria com o diretor de fotografia Vittorio Storaro, vencedor de três estatuetas do Oscar. O filme conta ainda com Jude Law, Diego Luna, Rebecca Hall  e Cherry Jones no elenco.

Distribuído pela Imagem Filmes, “Um Dia de Chuva em Nova York“, chega aos cinemas nacionais em 21 de novembro.


Assista ao trailer!

Netflix divulga o primeiro trailer de “O Rei”, dirigido por David Michôd

A Netflix divulgou hoje, 27, o primeiro trailer de “O Rei“, dirigido por David Michôd. Infelizmente o serviço de streaming não definiu uma data de lançamento para o longa.

Descontente com a realeza, o príncipe herdeiro Hal (Timothée Chalamet) decide viver entre os plebeus. Mas, com a morte de seu pai tirano e coroado Rei Henrique V da Inglaterra, ele é forçado a retornar para o mundo que havia deixado para trás. Agora, o jovem rei precisará lidar com as pressões políticas e o legado de guerra deixado por seu pai ao mesmo tempo em que enfrenta suas próprias questões emocionais, como a relação com seu amigo e mentor, o cavaleiro alcoólatra John Falstaff (Joel Edgerton).

O Roteiro do longa também pertence a Michôd, mas conta com a colaboração de Edgerton. “O Rei” é estrelado por Sean Harris, Ben Mendelsohn, Robert Pattinson e Lily-Rose Depp.

Vale lembrar que “O Rei” está programado para ter sua estréia mundial no Festival de Veneza em 2 de setembro.


Assista ao trailer!

“A Rainy Day In New York”: Woody Allen anuncia o trailer de seu novo filme

Todos fomos pegos de surpresa quando a página oficial de Woody Allen no facebook anunciou o trailer do novo trabalho do diretor. Filmado há quase dois anos, “A Rainy Day In New York’, foi posteriormente abandonado pela Amazon Studios, dando início a um processo gigantesco e tornando as chances de sua estréia na América  improvável, se não impossível. No entanto, o filme vai ver a luz do dia na Europa, onde será lançado no início de outubro

A desistência da Amazon com o projeto ocorreu pelos as alegações de agressões sexuais ressurgidas contra o cineastas. Além de sua reputação pessoal, sua reputação profissional sofreu um golpe do qual dificilmente Allen vai se recuperar.

O filme é estrelado por Timothée Chalamet, Elle Fanning, Selena Gomez, Jude Law, Diego Luna e Liev Schreiber. Alguns membros do elenco tomaram algumas atitudes com relação ao participar do filme, Chalamet doou o que lucrou com a produção para RAINN, Time’s Up e o Centro LGBT de Nova York, enquanto Gomez também doou mais de $1 milhão para o movimento Time’s Up.

Enquanto isso, Allen entrou com uma ação de $68 milhões contra a Amazon Studios por ter quebrado seu contrato, que incluiu três filmes adicionais. O diretor, que tem enfrentado acusações de abuso sexual, começará a produção em seu próximo filme na Espanha em julho deste ano.


Assista ao trailer!

Rainy Day trailer

The official trailer for "A Rainy Day in New York".

Publicado por Woody Allen em Sexta-feira, 17 de maio de 2019

Timothée Chalamet revela o desejo de trabalhar com François Ozon

A carreira de Timothée Chalamet segue em ascensão na qual lhe dar direito de trabalhar com qualquer cineasta. Ele já trabalhou com Christopher Nolan, Luca Guadagnino, e está pronto para atuar em “Duna“, dirigido por Denis Villeneuve. No entanto, em uma entrevista recente, ele citou especificamente François Ozon como um cineasta no qual faria qualquer coisa para trabalhar.

Falando abertamente com a LCI, Chalamet foi perguntado se havia algum cineasta francês com quem ele gostaria de trabalhar, considerando que ele fala fluentemente o idioma, sem muita hesitação ele mencionou o nome de Ozon.

Provavelmente um dos trabalhos mais marcantes de Ozon é “Swimming Pool – À Beira da Piscina“, porém, nos últimos anos, o diretor dirigiu filmes bem recebidos, como “Frantz“, “Dentro da Casa” e “Potiche – Esposa Troféu“. 

Ozon foi rápido em responder o ator via twitter, simplesmente dizendo: “eu te escuto”. Estaria o cineasta animado para potencialmente trabalhar com um dos nomes que mais evolui no meio cinematográfico?

Como já dito, o próximo trabalho de Chalamet é “Duna“, dirigido por Villeneuve. Será o primeiro filme de grande orçamento que o ator será o protagonista. No elenco estão nomes como: Javier Bardem, Zendaya, Oscar Isaac, Rebecca Ferguson, Charlotte Rampling, Dave Bautista e Stellan Skarsgård.

Novo filme de Wes Anderson, “The French Dispatch” está sendo filmado na França

Depois do sucesso de “Ilha de Cachorros“, que tem tudo para receber uma indicação ao Oscar, o próximo filme de Wes Anderson, “The French Dispatch” começou a ser rodado na França. Segundo relatos anteriores, o decimo filme do diretor seria um musical, mas fontes próximas ao cineasta descreveu  ao Indie Wire como “uma carta de amor a jornalistas de um jornal americano em Paris no século XX, e foca em três linhas narrativas”.

Como em todos os filmes de Anderson, o filme apresenta em seu elenco um conjunto renomado como Bill Murray, Frances McDormand, Tilda Swinton e além dos recém escalados Benicio del Toro, Jeffrey Wright e Timothée Chalamet.

The French Dispatch” é roteirizado pelo o próprio Wes Anderson, é provável que o filme tenha estreia no Festival de Cannes e acabe sendo distribuído pela Fox Searchlight.

Timothée Chalamet negocia para estrelar remake de “Duna”, dirigido por Denis Villeneuve

De acordo com o Deadline, o novo projeto de Denis Villeneuve pode ter a presença de Timothée Chalamet. Fontes do site afirmam que o jovem ator negocia o papel principal do longa-metragem. “Duna” é uma mistura entre política e ficção científica, que relata confrontos pelo o comando de uma substância, que seria capaz de causar viagens interestelares.

Caso se confirme, Chalamet vai interpretar Paul Atreides, o personagem principal da clássica série de ficção científica de Frank Herbert. “Duna” foi adaptado por David Lynch, com Kyle MacLachlan no papel principal. Embora muitos fãs do livro não ficaram satisfeitos com a versão criada por Lynch, há muitos que mantêm o filme em status de cult clássico.

Além da versão de 1984 criada por Lynch, “Duna” ganhou minisséries para televisão. No entanto, a tecnologia do cinema avançou nas últimas décadas, e com Villeneuve aparentemente no auge de seus poderes criativos, este projeto é um dos mais esperados de Hollywood.

Chalamet, foi indicado ao Oscar no início deste ano por seu trabalho em “Me Chame Pelo Seu Nome“, de Luca Guadagnino, e tem uma série de filmes para serem lançados no ano que vem. Ele também está sendo cotado como um forte candidato ao Oscar este ano pelo seu próximo filme, “Beautiful Boy“, baseado no best-seller homônimo, onde ele co-estrelou com Steve Carell.

“Duna” ainda não tem uma data de lançamento.

Timothée Chalamet se envolve com irmã de traficante no primeiro trailer de “Hot Summer Nights”

Assista ao trailer de “Hot Summer Nights” que marca a estreia do roteirista e diretor Elijah Bynum. No elenco do filme temos o badalado Timothée Chalamet, Maika Monro e o ator britânico Alex Roe.

Em “Hot Summer Nights“, Daniel (Chalamet) é um adolescente atrapalhado que não tem jeito pra falar com garotas, até o momento em que um traficante de drogas e sua linda irmã entram em sua vida.

No ano passado, poucos fãs de cinema sabiam sobre o ator Timothée Chalamet. No entanto, desde a estréia de “Me Chame Pelo Seu Nome“, no Festival de Sundance do ano passado, o jovem viu sua fama disparar e, de repente, ele está em toda parte. No último ano Timothée marcou presença em três grandes lançamentos, foram eles: “Me Chame Pelo Seu Nome“, “Lady Bird” e “Hostiles“. Em 2018 todos estão de olho no ator e nos filmes em que ele vai participar.

O filme estreia em junho nos Estados Unidos, porém segue sem previsão de lançamento no Brasil.

Assista ao Trailer abaixo!

As primeiras impressões de “Beautiful Boy”, estrelado por Timothée Chalamet

O Oscar pode ter acabado de acontecer no início de março, mas já estamos vivendo a temporada de premiação de 18-19. O Festival de Cannes se aproxima, e ele é um dos principais encarregados de entregar os grandes filmes da época. “Beautiful Boy“, da Amazon Studios pode ser um forte concorrente no próximo ano. O longa marca a estréia em inglês do diretor belga Felix Van Groeningen. “Alabama Monroe” é o trabalho mais conhecido do cineasta.

Beautiful Boy” é adaptado do livro biográfico de David Sheff, “Querido Menino“, que relata sua luta vendo seu filho, Nic, cair no vício da metanfetamina. Steve Carell interpreta David no filme, enquanto Timothée Chalamet está interpretando o filho viciado. Espera-se que o papel traga Chalamet de volta à frequentar os prêmios mais importantes em menos de um ano, depois que “Me Chame Pelo Seu Nome” lhe rendeu sua primeira indicação ao Oscar.

A Amazon perdeu as forças durante a corrida do Oscar no ano passado, com títulos como “A Melhor Escolha“, de Richard Linklater, e “Sem Fôlego“, de Todd Haynes. O estúdio certamente espera se recuperar nesta temporada e recapturar o sucesso que teve com “Manchester à Beira-Mar“.

Beautiful Boy” pode estrear em 12 de outubro em alguns cinemas selecionados, talvez sua presença em Cannes não seja garantida, com isso o filme poderá frequentar o festival de Telluride ou Toronto, em setembro.

Assista ao teaser abaixo!

 

Online Shopping in BangladeshCheap Hotels in Bangladesh